A Tertúlia do Open-World

Os jogos que ostentam um vasto Open-World têm testado a minha paciência nestes últimos anos, especialmente porque o conceito carece qualquer valor ou acréscimo à experiência em si. Eu tento julgar o carácter de um Open-World usando uma "regra de ouro", se o mundo não se apresenta como uma personagem fulcral para o desenvolvimento da história, a... Continue Reading →

Bloodborne, e se o jogo saísse do ecrã?

Bem, antes de mais olá! Fui convidado a participar no projecto VoxIngrata pelos seus criadores. Sou um Game Developer, Professor Universitário, desdenhador profissional e um enorme NERD. De todas as artes a que mais me apaixona é a décima, os videojogos. Como tal é neles que o meu contributo neste blogue se irá focar, e... Continue Reading →

Gravity Kills

Acho que a gravidade é um conceito intrigante, com isto não quero dizer "Oh meu deus, gravidade como é que funciona? Magic", simplesmente refiro-me ao potencial criativo associado à gravidade. É um conceito intrigante, partindo do básico, as coisas sobem, as coisas descem, e implementar esse mesmo conceito nos videojogos comprova-se igual de intrigante. A inclusão... Continue Reading →

A Última Aventura da Wii U

É oficial, The Legend of Zelda: Breath of The Wild vai ser o último jogo produzido pela Nintendo para a Wii U, depois do seu release inicial em novembro de 2012, a Wii U está finalmente a entrar em estado vegetal, não que já não estivesse, mas desta vez a própria Nintendo está a contar os... Continue Reading →

Nintendo Switching Gears

 Não querendo-me posicionar como mais um militante ao serviço da Nintendo, gostava de falar da anunciada Switch numa óptica mais positiva, dentro do turbilhão de críticas acredito que exista algum proveito a ser tirado, contudo, as “lamentações dos inocentes” acabam por afogar o júbilo num mar de lágrimas.   Militante por que sim, de facto,... Continue Reading →

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑